10.1.07

A Difícil Fronteira

"Foi só depois que aprendi a gostar de mim que comecei a me livrar de tudo o que não fosse saudavél: pessoas, tarefas, toda e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama amor próprio."

Não sei de quem é este pequeno texto. Já o encontrei em orkuts de pessoas variadas, mas sempre sem autoria. Encaixa perfeitamente em coisas que eu estou vivendo agora. Não é tarefa fácil encontrar o limite entre o egoísmo e o amor próprio, a linha que separa a falta de respeito pelo outro do respeito por si mesmo. Não é fácil saber que em certos casos não há como se proteger sem magoar outrem. Eu tinha muitas vezes uma postura de me sacrificar para não ter que partir para cima de ninguém, que talvez se deva à minha educação católica, ou talvez a pensar que eu não tinha o direito de delimitar as minhas fronteiras, mas, ainda que a gente perca algumas coisas conforme envelhece, ganha uma outra muito importante: senso de valor. Algumas coisas aprendi, e uma delas foi que se eu não cuidar de mim, ninguém mais vai.

4 comments:

Gabi said...

Momento reflexivo no Tatiblog, hein? De fato, é uma coisa que estou passando agora, com essa história da minha avó. O bom é que acho q já sei o que fazer. O ruim é que só o tempo dirá se foi o melhor pra cada uma de nós...
Beijão, maninha!

Lucas said...

Bioenergética... Vcs não esquecem essa, não...
Bom, mas isso é verdade. Como minha mãe diz, a primeira pessoa de quem temos que gostar é a gente mesmo! Sendo assim, temos que, quase que yoguisticamente falando, deitar em nosso prórpio colo, hehehe...
Beijo!
PS.: Da próxima vez que meu corpo quiser me dizer algo, que o faça por escrito... Tem mão pra quê?

D. Afonso XX, o Chato said...

Uma das tarefas mais difíceis: fazer as pessoas entenderem que há limites. bjs

*QUEL* said...

Tati....como vc mesma diz, nao da pra dificultar a propria vida pra facilitar a do outro....rs
Acho q o limite a gente vai construindo aos poucos. Vai percebendo no dia a dia. E tb tem gente q sempre vai querer extrapolar, e cabe a nós dar um chega pra la.
Em acertos e errosvamos indo, nos protegendo e nos sacrificando...
No final, a vida é isso.

Beijokas