6.10.05

Maré Alta

Te querer...
e te temer...
te querer...
e te temer...

Quebram nas praias do peito
as ondas da emoção.
Eu assisto 'a beira-mar
a subida da arrebentação.

Te querer...
e te temer...
te querer, te querer...
e te temer...

Subitamente me dou conta
de não estar com os pés no chão
mas sim em mar aberto
numa pequena embarcação

te querer, te querer...
e te temer...
te querer, te querer, te querer...

2 comments:

Afonso said...

Flutuar, bem que eu queria.. (vi que adotaste as letrinhas, hehehe) bjs

Gabi said...

Sei bem como é. O que se pode fazer é aproveitar o embalar das ondas com calma... E esperar... Das duas uma: ou a maré abaixa, ou a gente aprende a nadar...

O poema está lindo!

Bjão!
Te adoru!