15.8.05

Poética do Abandono

A minha vida é saudade;
Nasci para sentir falta.
Eu sou um andarilho que caminha quase sempre só
levando um cajado e uma bolsa cheia de lembranças
dos amigos em outros continentes,
dos amores mal terminados,
e de todas as vezes que entreguei o coração a alguém que se foi.
A minha vida é sentir falta,
e a minha poesia é metafísica,
porque é conversar com quem já não mais está.
Eu caminho só
e só a ausência é quem me faz companhia.

3 comments:

Gabi said...

Lindo poema, Tati... Tão tristinho... Bom, se quiser conversar, quiser companhia, qqr coisa, é só ligar ;) ok????
Bjão, linda!
Te adoro!

D. Afonso XX, o Chato said...

Um dia a falta se preenche e vais sentir falta de teres sentido falta. bjs

TatiGirl said...

Acredito... se um dia esse sentimento me abandonar, vou estar adentrando terreno desconhecido...