26.8.05

Não quero falar, nem escrever.
Não quero ver,
nem saber o que me toca.
Não quero pensar nos olhos, nem na boca,
nem naquilo que me falta.
Se me salva, ou se me mata,
Não quero saber. Eu tento
esquecer a dor e o desalento.
Não quero falar do que se passa.

Eu só quero que caia sobre o mundo
um silêncio de crepúsculo, de sepulcro,
uma escuridão de nunca e fundo,
um vazio.
Antes era tudo.
Agora é nada, negro, mudo.

2 comments:

Quel said...

Oi Tati
Olha, tudo isso passa, pode ser doloroso agora, mas passa.
E da mesma forma que estou aki agora (mesmo que sem saber direito o que fazer) eu vou estar quando essa tempestade for embora, pra juntas, celebrarmos a vida.
Torço muito por vc.
Beijinhos

qualquer calmaria said...

Tati,
Eu não sei o que dói, mas o que quer que seja, é clichê a frase, mas passa.
Pelos meus posts dos últimos 3 meses acho que dá pra perceber que alguma coisa me doía, e muito. E sempre que me diziam que ia passar, eu acreditava, mas me parecia tão longe esse tempo de "passar". Sendo muito honesta, ele ainda não passou, mas agora é leve. O leve é o que eu conheço. A forma leve de viver. Todo dia eu acordo acreditando que aquele dia vai ser leve.
Bom, não vou me estender muito. Esse espaço é para comentar e não para escrever um livro.
Cuide-se bem.